Notícias


  • Escolas e Sociedade Psicanalítica debatem situações do cotidiano

    http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smed/default.php?p_noticia=999196868&ESCOLAS+E+SOCIEDADE+PSICANALITICA+DEBATEM+SITUACOES+DO+COTIDIANO&ESCOLAS+E+SOCIEDADE+PSICANALITICA+DEBATEM+SITUACOES+DO+COTIDIANO

    Em parceria com a Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA), a Diretoria Pedagógica da Secretaria Municipal da Educação (Smed) realiza um ciclo de encontros para debater a violência no ambiente escolar. Participam professores e equipes diretivas da Escola Municipal de Ensino Fundamental José Mariano Beck, localizada no bairro Jardim Carvalho, e da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Valneri Antunes, bairro Mario Quintana, além de pedagogos da Smed. As reuniões, de uma hora e meia de duração, ocorrem todas as quartas-feiras à noite no auditório da SPPA, no centro histórico (rua Andrade Neves, 14), durante o mês de junho. 
     
    Conforme a diretora Pedagógica da Smed, Maria Claudia Bombassaro, que também participa dos encontros, a iniciativa propicia a criação de um espaço de escuta e reflexão e também de construção conjunta de possibilidades para situações do cotidiano da escola. Em cada encontro, um tema é destacado a partir da narrativa de uma situação-problema vivida pela escola. Em seguida, a situação é comentada por um profissional de pedagogia da equipe técnica da Smed e interpretada por psicanalista, provocando o debate. Ao final, dos encontros, todos recebem certificados.
     
    Há 12 anos a Smed mantém parceria sem custos com a SPPA para lidar com situações de violência no âmbito escolar, com formações direcionadas a dirigentes, diretores, educadores, coordenadores pedagógicos, professores, monitores, estagiários, cozinheiras e auxiliares de serviços gerais das 43 Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis) e das 217 escolas comunitárias com termo de parceria com o município.
     
    “Conseguimos com que as pessoas avançassem nos seus conhecimentos acerca das relações entre escola e família, no respeito à criança e suas etapas de desenvolvimento e no gerenciamento de situações conflitantes na escola, contribuindo também para seu crescimento pessoal”, afirma Maria Cláudia, acrescentando que já está em fase de análise de dados a pesquisa que investiga o impacto das rodas de conversa nos participantes.



    /escolas

     

    Texto de: Cristina Lac
    Edição de: Denise Righi
    Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.